Guia de Carreira: Produtor de Conteúdo

FirmBee / Pixabay

Lá em meados de 1994, quando a internet começou a virar uma realidade para todos nós, não imaginávamos que a profissão de produtor de conteúdo específico para meios digitais poderia existir e ganhar a força que tem hoje, não é mesmo? Afinal, lá no início, ainda tínhamos poucas opções de sites e a rede social na forma em que conhecemos surgiria anos mais tarde.

As opções naquela época eram jogos, salas de bate-papo e um ou outro e-mail aqui e ali. Mas os brasileiros se apegaram tanto à internet que, em 1998, já ocupávamos o 19º lugar em número de hosts no mundo (cada host corresponde a 1 computador ligado à internet), liderando na América do Sul e perdendo apenas para os Estados Unidos e o Canadá no continente americano.

E a verdadeira revolução, enfim, aconteceu. Aos poucos, fomos migrando toda a nossa biblioteca de conhecimento para o mundo virtual e as empresas de diversos segmentos (incluindo as próprias mídias tradicionais) começaram a enxergar a internet como uma verdadeira fonte de disseminação de informação e conteúdo de qualidade.

E aqui estamos, plenamente integrados com o universo digital e consumindo conteúdo quase o tempo todo, seja por meio de textos, de vídeos, infográficos, e-mail marketing, e-books e mais uma série de formatos que nos levam informação e, também, entretenimento. E com o surgimento do marketing digital, com o qual empresas e proprietários de blogs passam a gerar muitas informações sobre seus produtos e serviços, a profissão de produtor de conteúdo não poderia estar mais em alta.

No post de hoje, portanto, você vai conhecer todos os detalhes dessa profissão dentro do marketing digital, bem como as competências e habilidades necessárias para entrar nesse mercado de trabalho. Vamos lá?

A importância de um produtor de conteúdo no marketing digital

muneebfarman / Pixabay

Dentro do Marketing Digital, o produtor de conteúdo ocupa uma posição estratégica e fundamental, pois é esse profissional que produzirá a informação em seus devidos formatos de acordo com o planejamento estratégico de divulgação dos produtos e serviços da empresa em questão.

O produtor de conteúdo está inserido, portanto, no chamado “Marketing de Conteúdo”, que corresponde a todo material produzido para informar, educar ou entreter um futuro cliente. O conteúdo produzido por uma empresa faz parte de uma estratégia com base na chamada “jornada de compra”. O que isso significa? Quer dizer que as produções se baseiam no comportamento do próprio consumidor nos meios digitais, que costuma ser diferente dos meios tradicionais.

Vamos a um exemplo: uma pessoa quer comprar uma televisão pela internet, e ela não vai colocar o primeiro produto que aparecer em seu carrinho de compras virtual. Primeiro, vai querer saber, com base nas características que quer para sua televisão, qual produto melhor lhe atenderá em custo/benefício.

É aí que entra a empresa que vende a televisão. Com uma boa estratégia de marketing digital, ela vai se tornar uma verdadeira referência em informar sobre todas as vantagens e características que uma televisão deve ter para que o consumidor se sinta confiante e informado o suficiente para adquirir um modelo da loja virtual. A empresa pode ir além e oferecer, ainda, mais conteúdos sobre o universo do público-alvo, como por exemplo, dicas de filmes, como otimizar a smart tv, etc.

Todas as informações, portanto, foram construídas por um produtor de conteúdo, sejam posts no blog da loja virtual, vídeos de reviews de alguns televisores ou os demais formatos que fazem parte da estratégia para vender esses aparelhos. A ideia do marketing de conteúdo é informar as pessoas para fazer com que elas não só respeitem a marca e a tenham como referência, mas também se tornem clientes fiéis da empresa.

É com esses materiais informativos e educativos que os clientes são atraídos e constroem um relacionamento com a empresa em questão. No fim, ganha o consumidor e também a própria marca, por gerar um forte engajamento.

Mas toda essa produção de conteúdo – e do próprio Marketing de Conteúdo – também tem outros objetivos para as empresas, como:

  • Ganhar a confiança do público, que passa a ser propagador da marca;
  • Melhorar a experiência no pós-venda;
  • Aumentar a interação com a marca;
  • Nutrir a chamada base de leads (base de pessoas propensas a se tornarem clientes da empresa);
  • Aumentar a visibilidade da empresa na internet, a tornando autoridade em determinado assunto (ou seja, as pessoas procuram o site ou a rede social da empresa quando querem se informar sobre determinado assunto);
  • Reduzir o custo de aquisição de clientes (quanto mais tráfego orgânico a empresa recebe, ou seja, quanto mais pessoas entram em seu site e adquirem seus produtos sem ter clicado em anúncio pago, menos custos a empresa terá com propaganda).

Como já vimos, existem diversos formatos de conteúdo digital que podem ser feitos pelas empresas para atraírem consumidores. São eles:

#1 Blogposts

Esse artigo é um exemplo de blog post. Trata-se de produções com tons informativos e educativos sobre assuntos voltados ao mercado de determinada empresa. Por exemplo, aqui no blog, nós produzimos blogposts sobre educação e mercado de trabalho para que você se mantenha sempre informados sobre essa área.

Esse tipo de conteúdo permite uma boa interação com a empresa e um bom engajamento, pois os leitores podem fazer seus comentários dentro do blog e também compartilhar os assuntos que lhes chamaram a atenção nas redes sociais.

Um bom blogpost deve ser atraente e também contar com as técnicas de SEO (Search Engine Optmization), que faz com que o público-alvo encontre os textos com mais facilidade nas pesquisas dos motores de busca.

#2 E-books

Os livros virtuais já caíram no gosto popular, pois são materiais que, geralmente, se aprofundam mais em temas relevantes e agregam muito valor ao público, sendo ainda, produzidos em formato mobile, tornando a leitura fácil em todos os tamanhos de tela. Existem e-books pagos e gratuitos, e ambos fazem parte da estratégia de marketing de conteúdo para atrair leads e torná-las clientes.

#3 Textos para sites

Diferentemente dos blogposts, os textos para sites são usados para as páginas institucionais ou páginas fixas de blogs. Por exemplo, uma clínica de estética pode criar uma página em seu site detalhando todos os seus serviços. Esses textos também são construídos de acordo com as técnicas de SEO para que sejam encontrados com mais facilidade pelas pessoas que fazem a pesquisa nos motores de busca.

#4 E-mail marketing

Quando você cadastra o seu e-mail na newsletter de um determinado site e passa a receber conteúdos e novidades em seu próprio endereço eletrônico, isso é e-mail marketing. Essa é uma boa forma de espalhar conteúdo, atrair visitantes e aprofundar o relacionamento com seus leads para que se transformem em clientes.

Existem várias técnicas que fazem com que os e-mails cheguem com as ofertas certas para determinados segmentos de clientes, aumentando a taxa de conversão (ou seja, de vendas) e diminuindo a taxa de rejeição.

#5 Infográficos

São a união de informações escritas e visuais para facilitar a compreensão de uma mensagem. O infográfico é muito eficiente como estratégia de marketing de conteúdo, ainda mais quando é preciso passar muitos dados numéricos ou explicar um determinado processo passo a passo. Deve-se usar fotos, desenhos, gráficos e um texto mais enxuto para atrair leitores e facilitar o engajamento.

#6 Vídeos

Os vídeos são outra ótima forma de conteúdo para atrair e engajar as pessoas. Não é à toa que esse formato é muito utilizado pelas empresas e por blogueiros de uma forma geral. Se bem feitos, geram muita autoridade e sua marca se torna referência em um determinado assunto.

Por exemplo: se uma empresa vende smartphones, ela pode incluir como estratégia de conteúdo a produção de vídeos de reviews de seus lançamentos. Isso atrai e, ao mesmo tempo, educa o potencial cliente.

#7 Posts nas redes sociais

Como, atualmente, as pessoas costumam acessar suas redes sociais também para se informar, as empresas produzem textos, fotos, infográficos, vídeos, transmissões ao vivo, concursos, gifs e todos os formatos possíveis e permitidos para gerar conteúdo relevante e altamente engajado para seu público.

#8 Webinar

Palestra ou seminário transmitido ao vivo para um grupo fechado de pessoas, o webinar é um formato que está em alta, pois ele aproxima muito o potencial cliente da empresa, sendo uma ótima oportunidade de estabelecer contato com o público e para explicar mais sobre os produtos, os serviços e tirar as dúvidas, o preparando para a compra.

#9 Podcast

O podcast é a produção de conteúdo em áudio e vem sendo muito utilizado por empresas que oferecem serviços. Uma empresa de consultoria em vistos de imigração, por exemplo, pode produzir uma série de podcasts para seu público sobre determinados assuntos relacionados ao tema. Algumas empresas permitem, ainda, que o podcast seja baixado para que a pessoa ouça offline, gerando mais mobilidade.

#10 White paper

São conteúdos em textos mais curtos, com um único assunto, sendo muito utilizados para mostrar um case de sucesso do produto ou serviço da empresa, por exemplo. É um material com finalidade educativa e que pode reunir detalhes técnicos ao mesmo tempo em que fala sobre os benefícios do negócio.

Competências e habilidades necessárias de um produtor de conteúdo

A seguir, listamos algumas competências e habilidades necessárias para quem deseja se tornar um produtor de conteúdo:

  • Facilidade de leitura, escrita e compreensão de texto;
  • Facilidade de pesquisar sobre os assuntos antes de produzir o conteúdo;
  • Ter domínio da Língua Portuguesa;
  • Senso crítico apurado;
  • Autodidatismo e boa capacidade de se atualizar frente às novidades do mercado;
  • Flexibilidade;
  • Ser organizado, disciplinado e muito comprometido com a entrega dos trabalhos dentro do prazo;
  • Saber trabalhar em equipe, pois a produção de conteúdo é apenas uma parte de toda a estratégia. O profissional trabalhará junto com revisores, editores, analistas e outros colegas;
  • Saber ouvir críticas e transformá-las em oportunidade de crescimento e amadurecimento, pois o seu conteúdo passará pela revisão de vários profissionais até chegar na fase de aprovação do cliente;
  • Saber se comunicar com os clientes, mantendo sempre o tom profissional e a cordialidade;
  • Gostar de tecnologia e estar sempre antenado sobre as novidades.

O produtor de conteúdo também precisa desenvolver uma série de habilidade técnicas, tais como:

  • Conhecer o funcionamento das redes sociais e suas diferentes linguagens. Por exemplo, um conteúdo para o Instagram é diferente de um para o Twitter. Além disso, as métricas que impactam o alcance das postagens são atualizadas muito rapidamente.
  • Saber adaptar um conteúdo em diversas plataformas. Um mesmo blogpost pode se transformar em um post no Facebook, em um vídeo, um e-book ou um infográfico, por exemplo.
  • Ter domínio da língua inglesa, pois muitos materiais de pesquisa para a produção de conteúdo estão nesse idioma.
  • Ter domínio das técnicas de SEO (Search Engine Optimization) para construir o conteúdo de modo que ele fique nas primeiras posições dos motores de busca, como o Google, e seja facilmente encontrado pelas pessoas.
  • Ter conhecimento sobre todos os processos do Marketing Digital.
  • Saber analisar métricas utilizando algumas ferramentas, como o Google Analytics, para verificar o desempenho dos conteúdos produzidos e auxiliar na tomada de decisões.
  • Conhecimentos básicos de programação. Não é necessário conhecer profundamente todos os detalhes, até mesmo porque um dos integrantes do time de marketing digital será o especialista nesse assunto. Mas como o SEO também envolve a estrutura do site, é importante ter noções básicas dessa área de HTML.
  • Saber manusear softwares de produção de texto (como o LibreOffice e o Word) e de diagramação (como o Canva, que é próprio para desenvolver alguns layouts sem ter conhecimento avançado de design gráfico).

Formação do produtor de conteúdo

Não é necessário um diploma de graduação para trabalhar como produtor de conteúdo. Entretanto, a maioria das empresas e agências que contratam pede uma formação base, como Comunicação Social (Jornalismo, Publicidade e Propaganda e Marketing) e Letras/Português. Para quem é graduado, existem pós-graduações nacionais e estrangeiras de marketing digital que podem dar um upgrade no currículo.

Como o profissional irá atuar dentro do marketing digital, um bom diferencial é a obtenção de certificações de produção de conteúdo e de marketing digital fornecidas por empresas nacionais e estrangeiras. Algumas dessas certificações, inclusive, são gratuitas.

O produtor de conteúdo deve ser um profissional bastante atualizado sobre o mercado da comunicação digital; por isso, é muito importante que ele desenvolva o autodidatismo para que consiga acompanhar as novidades e tendências do setor.

O mercado de trabalho para o produtor de conteúdo

Como vimos, o mercado da produção de conteúdo está em alta dentro do marketing digital. Nesse sentido, o profissional pode trabalhar em lugares, como:

  • Agências de publicidade e propaganda.
  • Agências de marketing digital.
  • Agências de comunicação.
  • No departamento de marketing de empresas.
  • Em plataformas de produção de conteúdo.
  • Como empreendedor e como freelancer, oferecendo seus serviços de produção de conteúdo para agências e clientes diretos.

Existem diversos cargos relacionados à área e os salários podem variar de acordo com a experiência do profissional e seu currículo. Três desses cargos e salários correspondentes, segundo o Catho, são:

  • Redator web, cuja média salarial atual é de R$ 2 mil.
  • Analista de conteúdo, que atua na elaboração de releases e produção de conteúdo, além de alimentar site e gerenciar redes sociais. Média salarial: R$ 1,6 mil.
  • Analista de mídias sociais, que elabora textos para as redes sociais, dissemina conteúdo em comunidades e blogs relevantes e interage com os participantes. Média salarial: R$ 1,5 mil.

Viu como um produtor de conteúdo é um profissional fundamental para a estratégia de venda no meio digital ser um sucesso? Não deixe de pesquisar sobre o tema e suas constantes atualizações no mercado de trabalho para ser sempre um profissional de destaque.

Se você ficou com alguma dúvida ou tem alguma dica para quem está pretendendo entrar no ramo, compartilhe sua mensagem nos comentários e até a próxima!